RESSACA – Mar invade Navegantes em três bairros


Ressaca. Rastro de destruição foi visto por moradores e veranistas no Gravatá após mar invadir ruas, arrancar o deck e comprometer calçadas – Divulgação/JN

Ressaca. Rastro de destruição foi visto por moradores e veranistas no Gravatá após mar invadir ruas, arrancar o deck e comprometer calçadas – Divulgação/JN

A ressaca que atingiu o litoral no último final de semana deixou um rastro de destruição em Navegantes. No bairro Gravatá, ela ficou evidente. Deques de madeira construídos ao longo da orla foram arrancados pela força da maré alta. Alguns chegaram a ser levados para o outro lado da Avenida Cirino Adolfo Cabral.

No Porto das Balsas, as ruas foram tomadas pelas águas. Segundo a Defesa Civil, o problema nesses locais é que os loteamentos estão localizados em áreas de alagamento. “Se quem loteou tivesse se preocupado em fazer um aterramento adequado, isso não aconteceria. Por mais que a Prefeitura se preocupe com a drenagem, durante fortes enxurradas ou na maré alta, vão ocorrer os alagamentos”, destaca o diretor da Defesa Civil, Evandro Argenton.

A ressaca iniciou na sexta-feira e teve seu pico no sábado. Domingo foi dia de “limpar a bagunça” deixada pelo mar nas ruas próximas à praia. Ao longo da semana, a Prefeitura fez levantamentos dos danos e buscou tomar providências para iniciar a recuperação da orla da praia.

De acordo com a Defesa Civil Municipal, foi realizada uma operação de emergência durante todo o final de semana para a limpeza e desobstrução da avenida beira-mar e das ruas do entorno da praia. Outra preocupação é com a segurança no local, já que muitas áreas próximas ao deque, estacionamento e calçadão estão com risco de desabamento. Os locais de risco foram sinalizados e pede-se a compreensão dos moradores e visitantes para que evitem circular por estes pontos.

Além de destruir o deque de madeira, a ressaca também comprometeu a estrutura da orla, arrancando parte das pedras que fazem a cortina de contenção, destruindo ainda o estacionamento, calçadão e postes de energia a beira-mar. Houve também o assoreamento do sistema de drenagem das ruas e do Rio das Pedras e barra do Rio Gravatá.

Após. Ruas ficaram tomadas por pedras após maré baixar – Divulgação/JN

Após. Ruas ficaram tomadas por pedras após maré baixar – Divulgação/JN


 

Recursos

O secretário de Estado da Defesa Civil de Santa Catarina, Rodrigo Moratelli, esteve em Navegantes na terça-feira (1°) para se solidarizar com o município e colocar todos os meios disponíveis para conseguir ajudar a cidade na liberação dos recursos necessários para reconstrução da orla. Na ocasião, o secretário recebeu em mãos o relatório da Defesa Civil Municipal.

O município elaborou Decreto de Situação de Emergência. A expectativa do município é conseguir a liberação dos recursos e agilizar os trabalhos de reconstrução o mais rápido possível, para que a Praia de Gravatá esteja pronta para a temporada de verão que se aproxima.

Conforme o levantamento da Coordenadoria Municipal de Defesa Civil, serão necessários um total de R$ 1.985.000,00 para reconstrução e recuperação dos estragos. Deste valor, serão necessários R$ 150 mim para refazer a cortina de contenção de pedras que protege o avanço do mar; R$ 725 mil para reforma e substituição dos deques de madeira, R$ 600 mil para a ciclovia; R$ 16 mil para demolição das estruturas de deques comprometidas, R$ 40 mil para instalação de novos postes de iluminação pública, R$ 404 mil para limpeza e substituição de tubulações, R$ 6 mil para o desassoreamento do Rio das Pedras e R$ 44 mil de utilização de maquinários para recomposição das dunas embrionárias.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *