RECLAMAÇÃO – Moradores aguardam obras de recuperação na Meia Praia


Rua. Motoristas manobram para evitar buracos e animais – Jean Knetschik/JN

Rua. Motoristas manobram para evitar buracos e animais – Jean Knetschik/JN

Moradores da Rua Geraldo José Borba, no bairro Meia Praia, permanecem indignados com a atual situação que se encontra a rua. Para transitar de carro, é necessário desviar os buracos, cavalos, bois e ter muita paciência. A rua foi pavimentada há cerca de 4 anos e, ao que tudo indica, não mais recebeu manutenção.

Buracos se formaram com o afundamento das lajotas ao longo da via. Nas laterais, algumas lajotas chegaram a ser jogadas para fora da pista, abrindo enormes valetas. A cada nova construção erguida, uma nova ligação de água por parte da Sesan e o calçamento não fica como antes. “Isso já está acontecendo não é de hoje”, reclama a moradora Maria de Lourdes.

Ela conseguiu reunir um abaixo-assinado com cerca de 130 assinaturas. “Acho que agora vai ter de refazer porque está muito ruim, não vai adiantar só a manutenção”, lamenta a moradora.

Quando o problema não são os buracos, a rua é invadida por cavalos e bois. Segundo o superintendente da Fuman, Paulo Mafra, esse é um problema de trânsito e não de maus tratos a animais. A Navetran já teria notificado o proprietário e até recolhido um dos animais, mas a prática contina.

Sobre a reforma urgente, quando da entrega do abaixo-assinado, o Jornal de Navegantes fez uma matéria falando sobre a situação da rua. O secretário adjunto de Obras, Jair Amorim, visitou o local. “Ele disse que ficaria para o ano que vem”, conta Maria de Lourdes.

Tentamos contato essa semana com o secretário de Obras, Jonas de Souza. Na terça-feira, ele não se encontrava na pasta e ficou de entrar em contato por telefone, com o número do telefone fixo e do celular deixado para uma servidora. Como ele não entrou em contato, na quinta-feira (1º) tentamos novo contato via telefone. Ele estava em uma “importante reunião” (sic) e não pode atender. Novamente aguardamos o retorno, o qual não veio.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *