ESTELIONATO – Quadrilha é presa enquanto aplicava golpe do bilhete


Quadrilha. Golpistas foram presos pela Polícia Militar e levados à delegacia onde foram reconhecidos pelas vítimas – Divulgação/JN

Quadrilha. Golpistas foram presos pela Polícia Militar e levados à delegacia onde foram reconhecidos pelas vítimas – Divulgação/JN

Quadrilha. Golpistas foram presos pela Polícia Militar e levados à delegacia onde foram reconhecidos pelas vítimas – Divulgação/JN

Quadrilha. Golpistas foram presos pela Polícia Militar e levados à delegacia onde foram reconhecidos pelas vítimas – Divulgação/JN 

Quadrilha. Golpistas foram presos pela Polícia Militar e levados à delegacia onde foram reconhecidos pelas vítimas – Divulgação/JN

Quadrilha. Golpistas foram presos pela Polícia Militar e levados à delegacia onde foram reconhecidos pelas vítimas – Divulgação/JN

Quadrilha. Golpistas foram presos pela Polícia Militar e levados à delegacia onde foram reconhecidos pelas vítimas – Divulgação/JN

Quadrilha. Golpistas foram presos pela Polícia Militar e levados à delegacia onde foram reconhecidos pelas vítimas – Divulgação/JN

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma quadrilha de estelionatários foi presa na tarde de quarta-feira, no bairro Gravatá. Eles aplicavam o golpe do bilhete premiado e foram detidos após fazerem algumas vítimas.

A Polícia Militar realizou um cerco aos golpistas após um denunciante acompanhar a quadrilha que tentava aplicar o golpe em uma senhora. A quadrilha estava em dois veículos, um Polo e um HB20. Os policiais conseguiram abordar o HB20 e deter um casal. O Polo então começou a fugir sentido Penha e foi abandonado no supermercado Top.

A fuga a pé dos dois ocupantes terminou com um deles detido por populares perto do mercado. O segundo tentou se esconder dentro do banheiro de um restaurante, mas também foi capturado pelos policiais. Com o grupo, foram encontrados três bilhetes da Mega Sena, usados na prática do crime, além de quatro celulares, cinco cartões de crédito e R$ 761 em espécie.

A quadrilha foi levada até a Delegacia de Polícia Civil, junto dos dois veículos. Durante a prisão, ainda no Gravatá, duas vítimas reconheceram os autores e foram orientadas a comparecer na delegacia. Já na sede da Polícia Civil, uma terceira vítima apareceu denunciando o mesmo crime.

 

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *