LIXO – Problemas na coleta são analisados por vereadores


Lixo. Vereadores estiveram em Brusque na sede matriz da concessionária Recicle – Maurício Daleffe/JN

Lixo. Vereadores estiveram em Brusque na sede matriz da concessionária Recicle – Maurício Daleffe/JN

Não são poucas as reclamações e inconvenientes em relação a coleta de lixo na cidade. Casos de prejuízo financeiro e mal atendimento da empresa Recicle Catarinense de Resíduos Ltda são comuns na cidade. Partindo de tantas reclamações, a Câmara de Vereadores instalou uma comissão de investigação com os vereadores Cirino Aldolfo Cabral Neto (PMDB), Alício Jacob Ricobom Filho (PSD) e Sebastião Alves da Silva (PSDB).

Todas essas reclamações foram levadas por eles até a gerente geral da empresa, em Brusque, Sulamita Lemos. A visita ocorreu na manhã de quarta-feira (8). A Recicle é a concessionária responsável pelo serviço de coleta regular, transporte e disposição final de resíduos sólidos. “Aproveitamos para solicitar documentos para a empresa que não constam nos enviados para a câmara”, conta o presidente da comissão, Alício Ricibom. Os vereadores, dente os documentos, ficaram sem a planilha de custos.

A comissão também fez uma visita ao aterro de Brusque, para onde são destinados os resíduos navegantinos. Dentre tantas reclamações, a gerência de Brusque informou que nunca tais informações chegaram a eles. Até mesmo falta de atendimento de qualidade para sanar dúvidas sobre fatura s, cobranças e alterações cadastrais foram comentadas.

Reclamações mais graves dão conta de problemas na cobrança. Há casos em que uma residência recebe dois carnês para pagar por conta de uma garagem que tem separada, mas no mesmo terreno. “Nesses casos, o cidadão deve ir até a Recicle solicitar uma vistoria, mas essa vistoria não vinha ocorrendo”, comenta Cirino Cabral, relator da comissão.

Conforme a gerente da Recicle, todos os relatos dos vereadores serão encaminhados pela matriz à sua filial, em Navegantes, para serem sanados. “Em relação à emissão equivocada de boletos de cobrança, estamos buscando solucionar isto brevemente. Temos uma equipe verificando novamente cada uma das unidades consumidoras para corrigirmos este tipo de falhas”, explica Sulamita Lemos.

A comissão possui 60 dias para apresentar um relatório. Ricobom acredita que esse prazo não seja suficiente. “Devido a complexidade das investigações, poderemos pedir uma prorrogação desse prazo por mais 30 dias”, conta. “A comissão deve resultar em sugestões para o executivo, mas o serviço irá continuar nas mãos da Recicle, pois possuem a concessão até 2022”, destaca Cabral. Ele reitera ainda que os moradores não devem deixar de pagar os carnês por conta das investigações feitas pela comissão para evitar incômodos futuros.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *