TRÂNSITO – Transporte escolar sofre com vans clandestinas


Franciele dos Santos. Representante dos transportadores escolares levou reclamações ao legislativo – Maurício Daleffe/JN

Franciele dos Santos. Representante dos transportadores escolares levou reclamações ao legislativo – Maurício Daleffe/JN

O transporte escolar feito por vans na cidade sofre com o problema das vans clandestinas. O problema foi apontado por Franciele Correia dos Santos, da Associação de Transportadores Escolares de Navegantes, durante sessão da Câmara de Vereadores, na segunda-feira (13).

Segundo ela, Navegantes sofre porque a Navetran não faz a vistoria das vans, e o único local na cidade que faz as vistorias não as faz em vans. “Se fosse feito pela Navetran, eles já iriam verificar o número da licença e cobrar que esse número esteja no veículo, o que muitos não têm”, comenta. Há quem tenha duas licenças e as multiplique por vários veículos, atuando na clandestinidade.

Atualmente, poucas vans atuam com licença deste ano. Isso porque a vistoria não é feita na cidade. Os transportadores pedem que seja feita uma lei obrigando a Navetran a fazer essa vistoria. “Isso dá oportunidade das vans trabalharem sem licenças e promove a clandestinidade”, ressalta.

A lei municipal diz que a vistoria pode ser feita em qualquer órgão credenciado pelo Detran, no entanto, algumas não estão sendo aceitas na hora de retirar a licença. “Há quem pague até R$ 250 de taxa de vistoria e algumas não são aceitas, mesmo sendo feita em órgão credenciado pelo Detran”, explica.

A intenção da associação é que a responsabilidade pelas vistorias recaia sobre o município, a exemplo de Itajaí, onde a taxa é de R$ 16 e a Codetran faz a vistoria. Possui até mesmo data para o procedimento. Navegantes, a vistoria é exigida semestralmente.

Para liberar o alvará, também é preciso pagar uma taxa de R$ 103 para a Fuman. “É maior que o valor do alvará”, reclama. Segundo a Fuman, o pagamento da taxa é uma exigência que consta no Plano Diretor. O valor é considerado abusivo pelos transportadores.


 

Estacionamentos difíceis

Um grande problema enfrentado pelas vans também é o de conseguir estacionar para pegar os alunos nas escolas. Há alguns meses foi feita sinalização em algumas escolas com placas de vagas exclusivas para vans. A palavra vans foi excluída e permaneceu ali apenas “escolar”. “Um pai que vai buscar seu filho também pode ser considerado escolar, mas ele para, vai falar com professor, comprar churro e nós precisamos pegar mais de um aluno”, protesta Franciele.

Segundo ela, é preciso que haja fiscalização de trânsito em frente às escolas, pois algumas ruas paralisam na hora de saída com pais que estacionam de qualquer jeito, em qualquer lugar, para pegar os filhos. Alguns chegam a parar em fila dupla, como já denunciado pelo Jornal de Navegantes no ano passado. A prática continua.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *