FERRY BOAT – Passageiros de moto e bike pagam tarifa de pedestre


Ferry boat. Diferença de preços consta nos guichês de entrada – Jean Knetschik/JN

Ferry boat. Diferença de preços consta nos guichês de entrada – Jean Knetschik/JN

Vereador de Itajaí, Edson Lapa, encaminhou requerimento ao Deter questionando a cobrança da tarifa para passageiros de motos e bicicletas na travessia do ferry boat e da balsa que ligam Navegantes e Itajaí. Para Lapa, a cobrança era uma ilegalidade, pois passageiros de carros e mesmo de vans, não pagam a mais na hora de usar o ferry e fazer a travessia do rio Itajaí-açu.

Segundo o gerente de logística da empresa de Navegação Santa Catarina, Wilimar Keller, a cobrança é autorizada pelo Deter desde 1991, com a Instrução Normativa 009. O Deter confirmou a existência da normativa e encaminhou cópia ao Jornal de Navegantes por e-mail. Disse ainda, que tal prática pode ser adotada em todo o estado.

De acordo com pesquisa feita por telefone essa semana, empresas responsáveis pelas travessias em outras cidades não fazem essa cobrança. Em Laguna e São Francisco do Sul, não há cobrança do passageiro. A cobrança é feita do veículo, independente de ter uma ou duas pessoas nele. O mesmo ocorre na travessia paranaense de Guaratuba.

O único ferry não contatado, porque o telefone não era atendido, foi o que liga Itapoá a Joinville. Na Prefeitura de Itapoá, a informação extraoficial é de que não havia tal cobrança.

Na instrução normativa de 1991, consta o seguinte texto no artigo 2º: “A tarifa fixada para moto e bicicleta inclui apenas seu condutor, devendo o carona efetuar o pagamento da tarifa correspondente ao pedestre”. A normativa é assinada pelo diretor geral do Deter da época, Enio Andrade Branco. A diferença de valores é apresentada nas placas indicativas de preços, nos guichês de entrada do ferry.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *