Banhistas precisam ficar atentos

Por Jornal de Navegantes 05/01/2018 - 10:16 hs
Foto: Jean Knetschik/JN
Banhistas precisam ficar atentos
Segurança. Diariamente, 45 guarda-vidas estão espalhados pelas praias de Navegantes, divididos em 24

Nesta temporada, já foram duas mortes por afogamento nas praias de Navegantes. Apesar de todo um aparato oferecido com guarda-vidas e bombeiros militares, veículos, etc, muitos esquecem ou simplesmente ignoram os cuidados necessários para ter um passeio tranquilo e evitar tragédias no mar. E, mesmo com todos os cuidados sendo tomados, ninguém está livre de ser vítima de uma tragédia como essas, mas seguir as orientações dos guarda-vidas reduz em muito tais riscos.

Atualmente são 8 postos guarda-vidas, após a inauguração de um novo posto no Centro em dezembro. Existem ainda 16 cadeirões distribuídos entre os postos para cobrir uma área maior das praias, totalizando 24 pontos de observação atendidos pelos guarda-vidas.

São 60 guarda-vidas que atuam em Navegantes, 45 por dia. Eles também utilizam dois quadriciclos para monitorar as praias, além de caminharem nas proximidades dos pontos de observação para orientar os banhistas. “A pessoa não precisa ter medo de pedir informação, o guarda-vidas está ali justamente para das as devidas orientações de segurança sobre o melhor lugar para se banhar e onde há correntes de retorno, por exemplo”, explica o sargento Conzatta, do Corpo de Bombeiros Militar.

 

Os perigos da maré

As correntes de retorno são definidas como o refluxo do volume de água que retorna para o mar em virtude da força gravitacional e podem alcançar velocidade superior a 3m/s. Para se ter ideia, esta velocidade é muito superior ao recorde olímpico de Cesar Cielo, que nadou a aproximadamente 2,3m/s. “Quando a pessoa sente que está sendo puxada para o mar, não deve nadar contra a corrente diretamente porque não vai conseguir vencer, o ideal é nadar mais de forma diagonal até atingir a praia”, comenta o sargento. As correntes deste tipo ocorrem em todos os tipos de praia. Algumas dissipam muito próximo à praia, enquanto outras podem continuar por centenas de metros.

Navegantes possui uma das praias mais perigosas de Santa Catarina. Prova disso é que o treinamento dos guarda-vidas e do resgate aéreo ocorreu no início de dezembro, na praia central.

Apesar do clima de diversão, é importante que a pessoa não descuide da segurança nunca. Saber nadar não é sinônimo de maior segurança. Isso porque, mesmo no curso de guarda-vidas civil, uma das provas é natação na piscina e 60% não a completam.

 

Orientações aos banhistas:

A principal orientação é para que munícipes e turistas procurem frequentar locais protegidos pelo serviço de guarda-vidas, ou seja, ficar próximo aos postos guarda-vidas. Outra precaução importante é evitar entrar na água após alimentar-se ou ingerir bebidas alcoólicas.

Por fim, é necessário também respeitar as bandeiras de sinalização colocadas nos postos de guarda-vidas (Vermelha= mar perigoso/não entre na água; Amarela: mar ruim/muito cuidado ao entrar na água; Verde=mar bom/divirta-se com responsabilidade). Caso tenha dúvidas, busque informações nos postos guarda-vidas, eles são treinados para informar sobre o melhor lugar para a prática de diversão sem risco de afogamento.

“Implantamos também as bandeiras verdes, de mar bom, em pontos específicos da praia. O ideal é que os banhistas se concentrem ali, pois não corrente de retorno e o acesso dos guarda-vidas é facilitado”, observa Conzatta.

 

Afogamentos

No dia 30, um adolescente de 16 anos morreu na praia do Gravatá. O caso aconteceu durante o dia. Ele estava com parentes e foi arrastado pela correnteza. Ele era natural da cidade de Londrina-PR. “O mar virou naquele dia, estava calmo e de repente a correnteza se intensificou. Por isso sempre orientamos as pessoas para terem o máximo de cuidado e seguir o lema de água no umbigo, sinal de perigo”, lembra o sargento Conzatta.

 

O atendimento dos guarda-vidas ocorre das 8 às 20 horas. Fora desse horário, não é recomendado entrar no mar. Na madrugada de segunda-feira (1), por volta da 1h30, a jovem Arieli Mendes, 20, entrou na água e começou a se afastar para um local mais profundo, quando começou a se afogar. Segundo um amigo da garota, ele que tentou resgatar Arieli, mas perdeu as forças e a soltou, nadando para a praia pedir socorro. A jovem chegou a ser resgatada pelos Bombeiros Voluntários, mas chegou ao hospital já com ausência de sinais vitais. Ela acompanhava amigos no show da virada do bairro Meia Praia.