Homicídios de 2017 superam número de mortes em 2016

Por Jornal de Navegantes 12/01/2018 - 09:29 hs
Foto: Divulgação/JN
Homicídios de 2017 superam número de mortes em 2016
PM. Número de homicídios aumentou, mas polícia também ganhou reforço no efetivo e de viaturas

O número de homicídios cometidos em Navegantes no ano de 2017 superou o de 2016. Foram seis mortes a mais de um ano para o outro. Ao todo foram 34 mortes em 2017, contra 28 de 2016.

Das 34 mortes, três foram latrocínios, três envolveram crimes passionais e dois confrontos com a Polícia Militar. Os outros 26 assassinatos estavam relacionados ao tráfico ou ação de facção criminosa.

Conforme o tenente-coronel Hug, comandante do 25º Batalhão da Polícia Militar de Navegantes, os autores dos três latrocínios foram presos. No caso dos crimes passionais, pelo menos dois foram solucionados. “Os crimes passionais são os mais difíceis de evitar”, observa.

O aumento no número de homicídios foi registrado em boa parte dos municípios catarinenses. Em Palhoça foram 23 mortes a mais, Joinville oito a mais, Blumenau 14 a mais, Balneário Camboriú oito a mais. Os investimentos em segurança tentam acompanhar para evitar que esses números sejam ainda maiores este ano.

Em 2017 houve um aumento de efetivo policial. De 62, o efetivo da PM saltou para 77. Atualmente atua com mais 10 policiais vindos pela Operação Veraneio. A operação permanece diária até o final de fevereiro. Posteriormente a essa data, os policiais a mais seguem na cidade apenas aos finais de semana, até abril.

O número de câmeras de segurança aumentou para 15. Destas, 11 permanecem em funcionamento e quatro estão inoperantes. “Aguardamos assinatura de contrato para fazer a manutenção dos equipamentos”, observa o tenente-coronel.

A PM da cidade conta ainda com 11 viaturas em radiopatrulha. No ano passado, foram cinco novas aquisições e/ou doações. No início do ano, uma foi doada por parte da iniciativa privada. Houve a chegada de outra pelo Governo do Estado, uma adquirida pelo Fórum e duas pela Prefeitura, graças ao repasse de valores feito pela Câmara de Vereadores. “O que podemos fazer em prol da comunidade, estamos fazendo”, completa o comandante.

 

A polícia também já iniciou tratativas com a Secretaria Municipal de Segurança, para que os agentes de trânsito assumam a responsabilidade em fazer boletins de acidente de trânsito. Com isso, os policiais deixariam de atender tais acidentes para continuar as rondas e garantir um patrulhamento ostensivo maior na cidade.