DENGUE – Navegantes já registra 14 focos do mosquito aedes


Dengue. Larvas do mosquito transmissor da doença foram encontradas em 14 pontos da cidade – Jean Knetschik/JN

Dengue. Larvas do mosquito transmissor da doença foram encontradas em 14 pontos da cidade – Jean Knetschik/JN

O mosquito aedes Aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus, anda procriando e muito em Navegantes. Somente neste ano, a equipe da Secretaria de Saúde já detectou 14 focos na cidade só neste início de ano.

Segundo o diretor da Vigilância Ambiental, Eduardo Leal, o número de armadilhas foi ampliado na cidade. De 55, aumentou para 94 apenas no centro da cidade. São Pedro também as armadilhas recolocadas em oito pontos e no São Domingos I são 12 pontos inspecionados.

A equipe agora trabalha na verificação e instalação nos bairros São Domingos II e Meia Praia. O São Domingos II é uma região com muito movimento, especialmente por conta dos estaleiros e do material que vem de fora.

Dos 14 focos confirmados até agora, 13 deles foram no Centro da cidade. Apenas um foi confirmado no bairro Volta Grande. Este, próximo à garagem da Viação Navegantes. Para Leal, uma das possíveis causas desse foco distante é que o mosquito usa os veículos para se proliferar a outros bairros. Ele consegue se instalar num ônibus, moto ou carro e assim migrar a outros pontos da cidade.

Dos outros focos, três foram identificados fora de armadilhas. Um em um balde com água, um segundo dentro de um pneu, abandonado num quintal. O terceiro ocorreu na água empoçada dentro de um bueiro de uma residência. Eduardo reclama: “A população não ajuda. Temos visto muito acúmulo de lixo nos quintais e assusta a concentração de focos no Centro. Em teoria, os moradores do Centro deveriam ser os mais bem informados e conscientes, mas não é o que acontece”, destaca.

Um dos últimos focos confirmados também não foi em armadilha. As larvas do mosquito foram encontradas dentro de um vaso, no cemitério municipal. Ao todo, são 260 armadilhas espalhadas pela cidade, as quais são visitadas a cada sete dias. Também existem 65 pontos estratégicos, como floriculturas e cemitérios, os quais recebem visitas a cada 15 dias.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *